Centro Internacional de Dramaturgia da Guarda promove Novos Bardos

Centro Internacional de Dramaturgia da Guarda Promove Novos Bardos

O Centro Internacional de Dramaturgia da Guarda vai organizar naquela cidade o Festival Novos Bardos, de 28 de junho a 4 de julho, com a participação de “prestigiados e premiados” convidados nacionais e internacionais, anunciou hoje a organização.

O brasileiro Domenico Lancellotti, a norueguesa Line Rosvoll, o norte-americano John Eisner e o britânico Chris Thorpe “são algumas das estrelas” do cartaz do Festival Novos Bardos na Guarda, promovido pelo recém-criado Centro Internacional de Dramaturgia (CID), que tem sede no Teatro Municipal da Guarda e é dirigido pelo ator e encenador Marcos Barbosa.

Segundo a organização, “também muito importante é a participação de Jacinto Lucas Pires, Ricardo Gomes, Pedro Mexia, Rui Tavares, Tomás Cunha Ferreira, Jorge Andrade, Ivo Alexandre, António Guedes, Diana Lara e Pedro Moldão”.

“O John Clinton Eisner, por exemplo, é diretor artístico emérito da Lark Play Development Center em Nova Iorque e o Chris Thorpe é escritor e performer de Manchester, membro fundador do Unlimited Theatre e escreveu para o National Theatre, para a BBC e para a West Yorkshire Playhouse”, acrescenta a fonte, indicando que ambos vão dar aulas em ‘workshop’ a estudantes que queiram participar na iniciativa de descentralização cultural.

O CID da Guarda lança “uma vasta programação de estreias de teatro, concertos de música, debates e ‘workshops’ com prestigiados e premiados convidados nacionais e internacionais”, refere.

O diretor do CID, Marcos Barbosa, disse hoje à agência Lusa que o Festival Novos Bardos, que permitirá a formação dramatúrgica e a discussão sobre as novas dramaturgias, irá decorrer “em formato concentrado”.

“Durante uma semana vamos ter formações de manhã e à tarde e espetáculos à noite. Tentando haver uma ligação entre as coisas. Os próprios formadores também serão os responsáveis pelos espetáculos e há uma ligação entre todas as atividades. É uma espécie de submersão completa na escrita para teatro e nas formas como se pode escrever e criar espetáculos”, explicou.

Segundo Marcos Barbosa, a iniciativa, que marca o arranque do CID, inclui atividades a realizar no Teatro Municipal da Guarda e também na aldeia de Famalicão da Serra.

O evento já tem confirmada a participação de elementos de algumas escolas superiores de teatro e de escolas profissionais e serão abertas inscrições para o público em geral, vaticinando o diretor do CID que o mesmo “vai ser um sucesso”.

Como a Guarda é uma das candidatas a Capital Europeia da Cultura 2027, o CID assume-se como uma aposta forte para a candidatura.

“E, sobretudo, a Guarda, parece-me que está a escolher o caminho certo que é estar nesse processo de candidatura, mas aproveitá-lo para criar estruturas que aumentam, desde logo, a qualidade de vida na cidade. E isso é um pensamento para o futuro e acho que essa é a forma certa de estar nestes processos”, afirmou Marcos Barbosa.

O município da Guarda criou o CID em março, um projeto que conta com sete países parceiros e que vai acolher escritores, encenadores, atores, tradutores, académicos, artistas e críticos, nacionais e internacionais.

O novo projeto na área das artes de palco, que foi apresentado na véspera do dia Mundial do Teatro, tem direção de Marcos Barbosa, diretor da Escola do Largo, em Lisboa.